domingo, 2 de novembro de 2008

Tecidos Transparentes - Parte I

DSC02223DSC02224

 

Nem de propósito, na revista Burda do mês de Outubro (versão espanhola), junto veio um livrinho de "Truques de Costura", que para além de explicar como adaptar os moldes à nossa estatura e estrutura física a partir dos tamanhos normais (genéricos) e a apresentação de alguns conselhos profissionais e técnicas (ex. aplicação de vivo decorativo), dedica um capítulo às características de cada tipo de tecido, desde linhos, lãs, algodão, pele e outros, e as técnicas mais indicadas para trabalhá-los.

DSC02220DSC02221

 

A organza também é referida neste livro nos "tecidos transparentes" e achei interessante partilhar com vocês algumas dicas ao mesmo tempo que mostro alguns detalhes da minha jaqueta de organza que está praticamente terminada.

Tratanto-se de um tecido transparente a organza (bem como chiffon, crepe da china e outros tecidos transparentes ou semi-transparentes) todos os acabamentos das costuras têm de ser trabalhados de forma especial, já que estas são visíveis do exterior da peça de roupa.

 

Alguns conselhos práticos:

1. O Corte

- Usar um cortador rotativo e uma base de corte própria para estes trabalhos, em vez de uma tesoura normal, já que desta forma o tecido não se levanta evitando que se deslize.

DSC01971DSC01854

Eu não utilizei o cortador rotativo (ainda não me habituei a usá-lo), mas usei um pequeno truque colocando pesos por cima do molde/tecido ao cortar (por ex.: um copo de vidro ou pisa papéis) e depois cortei com a tesoura (a que é usada só para cortar os tecidos).

 

Curiosamente no post do Paco sobre a confecção da blusa lilás e verde oliva , vi que para além de utilizar pesos, o Paco coloca uma folha de jornal por baixo do tecido, e corta ambos ao mesmo tempo obtendo um "corte limpio y seguro", muito perfeito.

 

-  As margens de costura das várias peças deverão ser a mesma, facilitando a união sem o auxílio da marcação por alinhavos no processo de transferir o molde para o tecido.

DSC01968DSC01969

 

2 - Transferir o molde para o tecido

- Não se deve usar o papel químico para transferir o molde para o tecido porque as marcas são visíveis do lado direito da peça (dependendo dos tecidos por vezes estas marcas são difíceis de sair).

- Pode ser usando um marcador hidrosoluvel, que sai com água ou vapor (convém testar primeiro em bocados de tecido) e existem até alguns marcadores que se evaporam após algumas horas, mas neste último caso convém que sejam logo cosidas as várias peças da roupa.

- Também podemos substituir alguns pontos de marcação por pequenos cortes - "piques" - nas margens das costuras, por exemplo, nas mangas, pinças.

- Ou usar linha de coser (normal) com uma agulha muito fininha para não deixar furinhos visíveis no tecido, nas linhas de pregas e pinças.

DSC02074_2

 

3 - Pinças

- Existe um pequeno truque que consiste em usar somente a linha da bobine para coser as pinças:

Retira-se por completo o carrinho de linha superior;

Puxa-se a linha da bobine, com comprimento superior à pinça e enfia-se na agulha da máquina de forma inversa, ou seja de trás para a frente e faz-se o percurso da linha ao contrário até sair na zona onde deveria estar o carrinho de linha superior;

Cose-se a pinça deste a ponta, sem fazer pontos de remate atrás, uma vez que não há possibilidade de se descoser estamos a utilizar uma só linha.

 

Podem ver a explicação da Tany sobre as pinças de uma só linha, técnica esta aplicada na confecção da blusa de organza.

Eu fiz da forma normal, que também fica bem mas tive de rematar as pontas, mas tenho a perfeita consciência que esta técnica fica com um melhor acabamento (tenho de experimentar!).

DSC02089DSC02091

 

Esta foi a primeira parte de um post dedicado às técnicas e truques que devemos saber quando trabalhamos tecidos transparentes e espero que sejam muito úteis.

 

Fiquem então atentos à segunda parte para muito breve...

 

Até lá!

5 comentários:

Catarina disse...

Vem mesmo a calhar! Muito obrigada! comprei aquele tecido transparente e estava com mt receio de o costurar.

Vou imprimir todas as tuas dicas para quando for fazer o modelo com aquele tecido, ter bases e dicas de ajuda!

Catarina

Tany disse...

Estás a fazer um óptimo trabalho! Também tive um pouco de receio antes de experimentar a técnica das pinças com uma só linha, mas depois de conseguir fazer uma vez (primeiro num retalho de organza, para teste), acabei rendida a esta técnica!

E também adoro lilás! Esta colecção que estás a criar vai ficar o máximo, mal posso esperar para ver tudo!

Beijinhos!

Eden disse...

Olá Ana Carina.
Mais uma dica preciosa!
Estou ansiosa por ver o resultado final do teu novo trabalho.
Vou ver se consigo arranjar a Burda de Outubro.
Beijinho e boas costuras ;)

Ana'scloset disse...

Também achei esse livrinho muito útil (e graças a ele, quase que não encontrava a revista!)
Quanto a esses tecidos fininhos... fico sempre de pé atrás com as pinças. Mas acredito no teu trabalho, e tiro as minhas conclusões quando vir pronto o teu casaquinho!

Beijinhos

Ana Carina disse...

Olá,

Ainda bem que acharam úteis estas dicas.

Catarina: Vais ver que trabalhar tecidos transparentes até é mais fácil principalmente porque consegues ver as marcações do outro lado e sobrepor as peças para união com muito maior facilidade. Ainda bem que gostaste deste post e espero que te seja útil.

Tany: Obrigado! Eu vou experimentar então num bocadinho...acho tão estranha, mas vi na tua blusa e fica mesmo perfeita!

Eden: Obrigado! Este livrinho vale mesmo a pena, para além de tecidos transparentes fala de outras técnicas e dicas para outros tipos de tecido.

Ana´sCloset: A reticência que tenho com os tecidos finos é que facilmente se rasgam e depois lá está, para cortar...escorregam! Mas a técnica do peso (um copo de vidro) até resultou...vou experimentar com folha de jornal por baixo como o Paco aconselha. Quanto às pinças, vou ter de experimentar a técnica que a Tany para ver o resultado.

Beijinhos e Obrigado!